Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Nacional’ Category

É o que se deduz desta defesa do Presidente da Assembleia da República aos deputados que recebem dinheiro por viagens que não fizeram ou são reembolsados por passagens que não pagaram. É a lógica política. Por isso não perdem o vencimento ou o cargo por não fazerem aquilo que lhes garantiu chegar ao poder. É legal? sim, eles fizeram a lei assim. É ético? Duvido. É moral? Não, por mais que se justifiquem a moral está acima da Lei injusta e da ética feita à medida por  um parlamento ao agir imoralmente.

Há quem consinta isto, eu não…. Reconheço a importância da política… Mas justa, limpa, ética e ao serviço das pessoas e na defesa do bem. Não está pouca vergonha.

Anúncios

Read Full Post »

2018-04-14

O escândalo do abuso de regalias dos deputados dos Açores e Madeira na Assembleia da República com o pagamento de passagens que o Expresso denuncia hoje é uma situação transversal da esquerda à direita. O mau comportamento é legal, como justifica a declaração da representante dos deputados rosa açorianos, mas não deixa de ser imoral, o que levou ao vergonhoso silêncio dos eleitos laranja desta Região. A imoralidade legalizada foi o que mais me doeu na vida autárquica, é que para defender a minha terra parecia estar solidário com esta falta de vergonha. Não, nunca estive!

Querer moralidade na política não é populismo. Protestar e denunciar para que os políticos não acedam a ferramentas que lhes garantam regalias e verbas de forma esconsa e não tenham um tratamento distinto do que a lei assegura para o restantes cidadãos é uma questão ética, moral e de justiça.

Populismo é não querer e fazer bandeira para que os governantes e deputados não sejam convenientemente pagos porque há outros cidadãos que o não são. Uma injustiça não se resolve estendendo-a a outras classes, nomeadamente políticos ou gestores como por norma muitos tentam fazer  para agradar às massas. O que se deve desejar é que mesmo os mal remunerados tenham rendimentos suficientes para viverem com dignidade e esta não se limita a ter cama, comida e roupa lavada, também inclui a possibilidade de ter uma vida social, lúdica e cultural integrada no meio onde se vive.

Read Full Post »

Estou Farto! Quando rebentou o BES este foi dividido em: banco mau que ficava com os créditos mal parados e do qual nunca mais ouvi falar; e Banco Bom que ficou com a boa parte, foi vendido à Lone Star, nunca deixou de ser um sorvedouro de dinheiro dos impostos e de ter prejuízos pelas coisas boas que viraram a más. Agora lá vou ter de contribuir para o Estado lá injetar mais uns milhões de euros após ter-me tirado poupanças no Banif e o vender ao desbarato ao Santander.

Tudo isto é feito diante dos meus olhos e como é o Estado não tenho outro remédio senão aguentar a continuação desta pouca vergonha… e ninguém vai preso neste processo que me continua a vir ao bolso.

Read Full Post »

Bancada do PSD, certos militantes de renome, comentadores e articulistas discutem opiniões sobre a estratégia de Rui Rio abrir o partido a negociar  questões de fundo com Costa e seu Governo: uns dizem que beneficia o PS, outros que prejudica o PSD, outros que fortalece o CDS e outros que ajuda a extrema-esquerda. O que toda esta gente não fala é se tal é bom para Portugal ou para os Portugueses, ou seja, desinteressam-se da única coisa que importa em política, servir as Pessoas e o Pais.

A única coisa que de facto me motivou intervir na política foi o serviço às Pessoas, à minha Terra e o futuro do meus País, claro que com as minhas ideias e visões da sociedade. Só que para toda esta máquina que enche a comunicação social parece que apenas importa o confronto politiqueiro, mostrando a todos uma democracia e partidos doentes que assustam pelo grau com que desprezam a defesa dos cidadãos que deveria o cerne dos seus debates e por isso, à exceção das questões locais, a política cada vez me desilude mais

 

Read Full Post »

Pois… depois de eu ouvir as duas canções em PC até cheguei à mesma conclusão do maestro António Victorino d’Almeida, não é plágio, não são parecidas, são iguais, embora mude a letra. Já não é de agora que a simplicidade pode ser bela em arte, veja-se a música minimalista, certos quadros e esculturas, até alguns livros. Sinto pena, pois de facto como canção, é simples mas bonita.

Agora resta saber como reage a RTP depois deste escândalo a seguir ao sucesso do ano passado.

Read Full Post »

Sem ovos não se fazem omoletes, Sócrates esvaziou de ovos o cofre do Estado e Passos, com imperfeições e sacrifício dos Portugueses, deixou a despensa com ovos para uma gestão futura de Portugal que Costa gere sem dar mérito a quem lhe deixou ovos, mas ainda faltam ovos para gastar no que precisamos e habituámo-nos a que os restantes europeus nos subsidiem, logo Costa pede que se criem novos impostos para toda a União Europeia subsidiar o seu Governo.

Marcelo foi claro, se cobrarmos mais impostos aos estrangeiros da União Europeia, eles dão-nos mais dinheiro.

Afinal Merkel e Bruxelas são mesmo nossos amigos, ao contrário do que se dizia, permitiram não só a Passos deixar que Costa tivesse algum dinheiro para fazer flores e o Presidente da República não teve pudor em mostrar que vivemos em grande parte à custa da União Europeia.

Mesmo assim, apesar da expansão económica global, que tem tido ótimos reflexos em Portugal, Costa não tem ainda para gastar tanto quanto precisa, não foi pela via do desprezo do endividamento, no que o elogio pela sua resistência ao que a sua esquerda queria empurrá-lo, e passou a chamar rigor à austeridade, esta consistiu de facto numa mudança de estilo: repor os cortes em vencimentos de um grupo de funcionários públicos, sou um beneficiário desta opção, colmatando o aumento da despesa do Estado com impostos indiretos a todos os Portugueses, cobrança que não aparecem na folha do IRS, nem na relação mensal da folha de salário.

Contudo, Portugal ainda precisa de mais dinheiro, pois desde 2011 não há obras públicas neste País, a face mais evidente da continuidade da austeridade em Costa, como já aumentou os impostos indiretos aos Portugueses para repor vencimentos, por isso muitos trabalhadores não conseguem ver as suas finanças mais folgadas, apesar de alguns destes receberem agora sem cortes, Costa vira-se agora para a exportação de propostas de impostos para que no saldo final todo um continente o subsidie… não deixa de ser uma excelente jogada política e até daria um excelente jeito a Portugal.

Agora denuncia que os sucessos económicos de Portugal no presente não são sustentáveis se o Governo de Costa não conseguir alguma forma de alcançar novas receitas… é que o País precisa mesmo de investimentos que estão cativos para camuflar que nem tudo está tão bem quanto se quer dizer.

Read Full Post »

Há uma coisa que durante anos se disse em Portugal: a justiça só incomodava a arraia miúda. Pelo menos nos últimos anos e sem se sentir uma politização do sistema judicial como se vê noutros países, em Portugal, desde um ex-Primeiro-ministro, a um atual ministro, a grande banqueiro, magistrados, até em vias de entrarem para o supremo, líderes futebolísticos, administradores de topo, tudo têm sido alvo de processos investigações e ou de acusação. Pelo menos a justiça agora incomoda todo o género de pessoas.

Resta saber se no fim as condenações vão mesmo começar a atingir os poderosos, esta é a próxima demonstração que se pede à justiça: não condene apenas cidadãos de fraco poder pela falta de influência política, social ou económica.

Contudo, ainda se sente haver uma justiça para ricos e outra para pobres, pois estes não conseguem na sua defesa usar de ferramentas legais que só os endinheirados conseguem pagar… um problema a resolver.

Read Full Post »

Older Posts »