Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Governo dos Açores’

Meu artigo de hoje no Incentivo

GOVERNO DOS AÇORES TRATA MENOS BEM OS AÇORIANOS

No Funchal, na passada semana, o presidente do “Instituto da Administração da Saúde da Madeira” (IASAÚDE) denunciou publicamente que o Continente não está a cumprir os acordos estabelecidos com aquela Região Autónoma ao nível do pagamento dos reembolsos do subsistema de saúde ADSE.

A verdade é que aquela situação não é um exclusivo da Madeira, isto também ocorre nos Açores perante um quase silêncio de cumplicidade partidária do nosso Governo Regional para esconder o desrespeito da República para com os contribuintes Açorianos deste subsistema de saúde que passou a ser gerido apenas a partir do Continente.

Recordo que os Açorianos que contribuem para a ADSE não deixaram de pagar as suas contribuições a tempo e horas, cobradas pela Administração dos Açores, só não têm sido reembolsados nas suas despesas de saúde num subsistema para o qual continuam a pagar.

As tentativas dos Governos no Continente evitarem ter despesas com as Regiões Autónomas têm sido transversais aos diferentes partidos que os integraram. Mas nos Açores, quando o Primeiro-ministro é da mesma cor do Presidente do Governo Regional a intensidade das reivindicações dos governantes açorianos baixa e os políticos por cá no poder colocam as denúncias na gaveta e chegam mesmo a silenciar-se.

Se fosse só esta mudança do grau de exigência do Governo Regional em função da cor política do executivo em Lisboa ser igual ou não, mesmo discordando, eu até percebia que era o mal da partidarite a afetar os governantes e deputados no poder regional. Mas, além deste mal, a atitude dos Governos das duas Regiões Autónomas para com os seus funcionários também não está a ser igual.

O Governo da Madeira não se limitou a denunciar alto este incumprimento do Continente, aquele Governo, para não prejudicar os Madeirenses, ao contrário do que se passa por cá com os Açorianos, também assumiu que iria adiantar o pagamento dos reembolsos às pessoas daquela Região e depois acertava as contas quando viessem as verbas atrasadas de Lisboa sem prejudicar o seu Povo.

Já o Governo dos Açores não só optou pelo não pagamento dos reembolsos aos Açorianos e quando as questões dos lesados surgiram, o Executivo teve então de responder e enviou um email interno aos seus funcionários para acalmar os protestos, mas escondeu que a Madeira optara por uma via diferente para não prejudicar os Madeirenses, ao contrário do que ele fazia por cá aos Açorianos.

Quem diria! O Governo da Madeira que há poucos anos estava praticamente falido e foi alvo de resgate financeiro, já tem dinheiro para adiantar aos Madeirenses em virtude do incumprimento do Continente, enquanto o Governo dos Açores, que sempre tem falado das suas boas contas, mesmo que se saiba do que esconde de dívidas debaixo das empresas regionais, deixa os Açorianos mais pobres à rasca, protege o abuso de Lisboa e vai gerindo isto como se nada fosse com ele, mas já é com ele continuar a cobrar as contribuições para ADSE para enviar para Lisboa.

A verdade é que o Governo dos Açores age assim em prejuízo de Açorianos porque muitos também têm deixado que isto aconteça de modo impune…

Anúncios

Read Full Post »

O aeroporto da Horta está certificado para voos noturnos, aliás já aterrei perto da meia noite na pista do Faial, mas ontem, depois de horas e horas de atraso do voo da Azores Airlines que vinha de Lisboa, este divergiu para Ponta Delgada, pois o sol já se havia posto havia escassos minutos e os pilotos daquele equipamento da empresa pública do Governo dos Açores não foram ainda certificados para aterrarem no Faial com sol posto.

Isto não é culpa do tamanho da pista da Horta, da ANA e da sua privatização, da Vinci, de nenhum Governo da República ou dos Faialenses que reivindicam melhores acessibilidades à sua ilha, a culpa disto é única e exclusivamente da MÁ-VONTADE de quem tem poder de definir a estratégia da empresa regional: o Governo dos Açores e a Administração da SATA nomeada pelo mesmo Governo dos Açores.

Não há nada nenhuma desculpa, a empresa já voa para esta ilha há anos, mesmo antes da TAP de cá sair, já há vários anos que esta situação poderia estar resolvida, mais ainda sendo uma rota de serviço público, mas a má-vontade do Governo dos Açores, exercida através da sua empresa SATA no prejuízo dos Faialenses nas acessibilidades aéreas, é enorme e só com muito suor esta ilha consegue ultrapassar cada um dos obstáculos que esta política regional nos vai impondo diariamente e de forma vão sempre inventando desculpas esfarrapadas para manter a sua má-vontade contra o Faial.

É verdade, ainda há Faialenses que não perceberam isto, mas a culpa não é minha e continuarei a denunciar esta má-vontade do Governo dos Açores através da SATA nesta matéria

Read Full Post »

É um vício de qualquer Governo controlar a Comunicação Social e quanto mais tempo se prolonga uma força política no poder maior é a capacidade de criar um polvo que amordace jornais que não seja subservientes. Assim, não me admira que o Governo dos Açores, vendo que nas terras mais pequenas os jornais não são rentáveis, corte no Promedia, pois pode canalizar fundos para órgãos subservientes por outras vias enquanto esmaga a liberdade de expressão e tudo isto feito legalmente.

Claro que publicidade, avisos e outras obrigações não têm de rodar equitativamente por todos os jornais e deste modo nas terras mais pequenas certos jornais veem passar ao lado formas legais de privilegiar um órgão em detrimento de outros e logicamente o favorecido não é aquele que lhe é menos subserviente.

Já o poder tem mais dificuldade em controlar jornais situados em meios maiores, com maiores tiragens e publicidade que deste modo angariam receitas que com maior ou menor dificuldade dê para sobreviver, mas no Faial e Pico logicamente isto é um calvário para os detentores de órgãos de comunicação social privados… enquanto os assessores de empresa fazem as notícias nos termos que o Governo dos Açores quer que sejam divulgadas, até podem muitas vezes estar corretas no que dizem, não informam é a verdade que o poder não quer que seja pública.

Read Full Post »

A  denúncia da descoberta ontem casual por um agente de viagens do Faial de que a partir do próximo mês de outubro a SATA ou Azores-Airlines iria deixar de voar preferencialmente entre a Horta e Lisboa de forma direta, optando por voos redondos com escala na Terceira em muitas ligações no próximo inverno é o último ataque da empresa do Governo dos Açores ao Faial. Saliento, feito pela calada e mantida em silêncio pelos seu representantes partidários nesta ilha.

Acredito que devido à data da denúncia antes das eleições ainda seja possível reverter esta situação, mas se não tivesse sido descoberta ontem, portanto ainda a tempo do protesto em voto seguramente seria demasiado tarde.

Também haveria a hipótese de haver uma combinação com o PS-Faial para mostrar que o Governo ainda o ouvia se tivessem protestado a tempo, só que nesta hipótese a descoberta pioneira foi de uma agência de viagens e tal arranjo ficou estragado.

Aliás era mesmo muito sujo e nem quero crer que a Câmara desceria tão baixo e permitisse que esta programação viesse à luz do dia abrindo o cenário em que a Horta era prejudicada, mas ficando a ideia no ar para os voos redondos no futuro colocada em cima da mesa, por muito que critique na sua inoperância e subserviência dos autarcas municipais nem penso que sejam capazes de descer tanto, o Governo do PS dos Açores é que deve mesmo ser muito mau e o protagonista deste ataque ao Faial.

Read Full Post »

É o que se deduz desta notícia, até o sindicado denuncia que foi a SATA quem não acautelou o serviço mínimo  para a Horta imposto legalmente para esta greve. Erro grosseiro? Estou convencido apenas da má-fé, muita má-fé mesmo contra o Faial, não é apenas da Administração da empresa nomeada pelo Governo dos Açores, mas sobretudo do Executivo de Vasco Cordeiro que apadrinha isto tudo. Ainda alguém duvida deste ataque organizado ao Faial?

Contudo ainda não consigo distinguir quais os eleitos faialenses que são colaboracionistas neste ataque contra a nossa ilha por egoísmo e ambição de estarem no poder rosa daqueles que colaboram contra o Faial por pura ingenuidade, mas acredito que estes últimos não são os que têm maior poder no Faial.

Agora se explica a minha admiração exposta no post anterior onde já estranhava a greve só prejudicar o Faial está plenamente explicado, tal como começa a ficar evidente que nesta guerra os maus da fita não são os sindicatos, mas sim quem governa a SATA.

Nunca imaginei que o desplante contra o Faial viesse a ser feito tão às claras como é feito presentemente

Read Full Post »

Não sei da justiça das reivindicações dos trabalhadores da SATA que ameaçavam greve. Sei que a SATA ao ser um instrumento político do partido do Governo dos Açores não corre risco de fechar por questões de exigências laborais, os sindicatos sabem isso. Ali, o risco é maior para um trabalhador ou administrador que denuncie erros estratégicos impostos do que o fecho da empresa por se reivindicar o impossível. O presidente do PS-Açores tudo fará para salvar este seu braço político, mesmo tornar a Autonomia refém da empresa.

Já assistimos a administradores e pilotos competentes serem chutados por Cordeiro da SATA após defenderem posições em prol da boa gestão da empresa, mas que não interessavam à estratégia partidária no poder. Hoje, vários deles foram chamados para companhias maiores como a TAP por perceberem o seu valor.

Também vimos o atual presidente de administração brincar com estatísticas para camuflar rotas com grande ocupação para justificar a respetiva redução enquanto a empresa abria outras que se sabem apenas dar prejuízo e nada de mal lhe aconteceu, pois era estratégico prejudicar a Horta, e quando se analisa opções de compras de aviões, entre outras, vê-se bem as preferências por apostas onde a empresa não é competitiva em vez de opções que ofereçam melhores serviços às ilhas menos populosas dos Açores. Isto que numa boa gestão levaria a SATA à falência… não leva, pois o dinheiro público está a serviço destes estrategas.

Por isso é normal que, independentemente das reivindicações do pessoal de cabine serem justas ou não, o sindicato fique indiferente aos porta-vozes rosas colocados na comunicação  e redes sociais a falar do abuso das exigências dos trabalhadores, que estes iriam levar a SATA à falência e então tornar-se-iam escravos de outras empresas low-costs e era bem-feito. Muito devem ter-se rido os sindicalistas da SATA, pois há muito que eles perceberam que não há esse risco, o partido no poder está disposto a tudo para salvar este seu braço estratégico… mesmo prejudicar muitos Açorianos que se deixam enrolar pelas manipulações propagandistas do PS-Açores.

Infelizmente as empresas privadas em setores estratégicos podem tornar-se ditatoriais, mas o mesmo acontece se essas forem públicas e o poder não colocar a boa administração e a boa governança acima dos seus interesses egoístas e patidários como fez os PS-Açores com a SATA, pelo que esta hoje está em condições de fazer vergar Cordeiro aos interesses dos seus trabalhadores mesmo que estes lhe peçam o céu… e, ironicamente, agora é difícil dar-se a volta a isto, após tantos erros já cometidos pelo Governo dos Açores na gestão da SATA.

Read Full Post »

Meu artigo de ontem no diário Incentivo:

PLACA GIRATÓRIA DE PASSAGEIROS EM PONTA DELGADA DE VENTO EM POPA

Não haja dúvida, devagarinho, mas não tão devagar quanto se possa pensar, aquela infeliz intenção, que qualquer pessoa perspicaz verifica existir no Governo dos Açores embora nunca assumida às claras por este, de transformar o aeroporto de Ponta Delgada na placa giratória de entrada e saída dos passageiros residentes ou visitantes ao nosso Arquipélago, vai avançando na prática.

Às vezes a Administração do grupo SATA, nomeada pelo poder regional e por isso destinada a ser serviçal à estratégia centralista dos transportes aéreos pretendida pelo Governo dos Açores, comete uns descuidos comunicacionais e lá tem de recuar nas palavras ou dar a volta para acalmar a coisa. Assim aconteceu no inverno passado com o excessivo descaramento e deste modo fácil de rebater por quem tinha acessos aos números e não tinha complexo em defender o Faial, quando, com estatísticas trabalhadas para apoiar a intenção oculta de desviar passageiros para Ponta Delgada, Paulo Menezes deu uns valores de baixa ocupação dos aviões da rota entre Lisboa e Horta para a esvaziar e não atender às justas reivindicações dos Faialenses nesta ligação.

Foi um deslize mal feito e logo rebatido por certos Faialenses atentos e não subservientes aos interesses de quem está no poder. Então a Administração lá se remeteu ao silêncio para a coisa passar, mas não houve mudança estratégica que comprometesse a intenção de levar a cabo a placa giratória no aeroporto João Paulo II. Pena este nome, pois o Santo até não tem culpa nenhuma destas diabruras do Governo Regional!

A estratégia de centralizar o transporte de passageiros em S. Miguel continua também a aproveitar o acordo de serviço público nas ligações entre os Açores e o Continente ao fazer que seja mais barato quase sempre as viagens do Faial, Flores ou Pico para Lisboa se o passageiro optar por uma rota com escala em Ponta Delgada, acredito que isto é para esvaziar em primeiro lugar a rota direta ao exterior a partir da Horta.

Efetivamente este centralismo vai de vento em popa e já começou a atingir a Terceira com o fim da sua ligação direta ao Porto pela Azores Airlines, aquela ilha sofre agora na pele o seu erro estratégico de tentar dividir outras menores do Arquipélago, a pensar ficar com as migalhas dos mais pequenos, mas, como acontece nestes casos, nem fica com estas e até é espoliada pelo topo fortalecido. Estou solidário com os protestos terceirenses, embora estes sejam o fruto amargo da sua opção errada contra nós e serviu apenas aos defensores da placa giratória em Ponta Delgada.

Não deixa de também de ser estratégia deste centralismo de transporte aéreo a demora que estamos a ter na efetiva concretização no aeroporto da Horta do projeto RISE, o apoio aos argumentos contra a ampliação da pista no Faial e até a facilidade com que se desviam aterragens para outra ilha às menores dificuldades em chegar à freguesia de Castelo Branco, mais ainda, se depois a ligação ao destino final pretendido parecer descoordenada como se queixaram passageiros que na terça-feira passada, com bom tempo e apenas uma brisa ligeira cruzada na pista, viram o voo da Azores Airlines ir para o Pico. Até porque para este argumento subsistirão sempre dúvidas, bem exploradas pelos centralistas, entre as condições reais, a sua afetação no avião e a sensibilidade do piloto, que favorecem a centralização que, como Faialense, recuso.

Não sou contra a expansão de outras rotas e infraestruturas, mas já não é a primeira vez que estas são usadas apenas para espicaçar divisões entre ilhas mais pequenas, mas depois do veneno injetado são esvaziadas sem nenhuma outra contrapartida, mas com novo reforço do centralismo da placa giratória em Ponta Delgada. Mas há gente que ainda não aprendeu com a repetição desta maldade!

Há muito que existem políticas centralistas nos Açores, por vezes claras, como a de tirar a Rádio Naval da Horta só para a colocar em Ponta Delgada, mas as mais perigosas são as implementadas com subterfúgios a argumentos falsos e a contar com os Migueis Vasconcelos nas ilhas mais pequenas que por um cargo colaboram com o inimigo, por vezes cegos pela sua grande ambição.

Apesar do muito que se tem falado de estudos pagos por cá, mas incapazes de levar a compromissos dos destinatários a executar o projeto de ampliação da pista da Horta, é a intenção disfarçada do Governo dos Açores de centralizar as ligações aéreas para o exterior em Ponta Delgada que vai avançando contra a nossa vontade de vento em popa e tornando-se cada vez mais irreversível.

Read Full Post »

Older Posts »