Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Dissertações Técnicas’ Category

mudartudo

Tudo pode mudar – capitalismo vs. clima” é um livro de uma jornalista canadiana, Naomi Klein, no qual se considera que as alterações climáticas  resultantes das emissões dos gases estufa tanto podem resultar numa catástrofe global de dimensões apocalíticas ou a ameaça ser de tal forma agregadora da humanidade que permita mudar o estilo de sociedade capitalista atual para um novo modelo em equilíbrio com a natureza e mais justo.

Apesar de o cerne do livro ser mesmo a preocupação climática da jornalista, é em paralelo um manifesto agressivo anticapitalista e um apelo de mobilização global contra a extração do hidrocarbonetos, sobretudo, pelo métodos mais extremos que a tecnologia moderna permite e muito mais impactantes, os quais ainda por cima têm efeitos retardadores na adoção de soluções alternativas não poluentes, ampliando assim os efeitos catastróficos da exploração predominante atual.

Na minha opinião a mistura ideológica de radical de esquerda com a preocupação ambiental envenena a mensagem e divide as pessoas em bons contra maus de direita e conservadores, onde praticamente não há meio termo e nestes últimos não haja bom-senso ou preocupações com a justiça ou o ambiente.

Deduzo do livro que além das multinacionais do petróleo negarem as alterações climáticas, todos os céticos e negacionistas estão ao serviço destas e do capitalismo, enquanto os movimentos de protesto de extrema-esquerda e os governos do Equador, Venezuela e afins, bem como o Syriza são bons exemplos sem defeitos ou erros. Apesar de alguns casos de intervenção social relatados me parecerem não ter nada de ideologia política e aqui surgirem colados ao campo da jornalista pelo estilo da narrativa.

Numa coisa estou plenamente de acordo com esta ornalista: o modelo económico extrativista/capitalista, como ela lhe chama, bem como o discurso consumista ou neoliberal me parecem insustentáveis ambientalmente e tanto por alteração climática ou outros desequilíbrios pode desembocar numa catástrofe se a civilização global não mudar para um modelo mais humanamente justo e em equilíbrio com a natureza e esta mudança tem muitos inimigos que envenenam a discussão.

Read Full Post »

Desde o início do século XXI que o conflito ambiental mais intenso na Terra se faz entre os defensores da redução das emissões de CO2, sobretudo os que assumem como a principal ou única causa das alterações climáticas, e as petrolíferas. Donald Trump ao nomear como Secretário de Estado o CEO da maior multinacional deste setor abriu as hostilidades com os ambientalistas e deve ter minado a maioria dos acordos internacionais no domínio da política mundial das alterações climáticas.

Se a admiração do recém-eleito presidente americano a Putin e os seus ataques quase diretos à China podem mudar o quadro de equilíbrio da geopolítica e da economia global, esta nomeação é o aumentar a escalada de mais um conflito ideológico, pois coloca no topo da política da maior potência militar e económica do mundo um representante do inimigo das maioria dos ecologistas mais radicais e colando até os mais os moderados  ambientalistas à esquerda.

Se as teorias científicas prevalecentes no meio da investigação no campo das alterações climáticas estiverem corretas, então assistiremos provavelmente ao desmoronar do muito trabalho em torno da proteção do planeta, se estiverem erradas, em ciência há sempre essa hipótese, e de facto forem os negacionistas quem está mais próximo da verdade, então estes terão uma maior oportunidade de demonstrar a sua razão, mas se errados, caminharemos então aceleradamente para uma catástrofe global mais acentuada. O futuro o dirá, mas que o princípio da precaução agora foi pisado como nunca… foi e isto não costuma gerar estabilidade nos sistemas de equilíbrio precário.

Read Full Post »

Levou anos a convencer os EUA a aceitar medidas para reduzir as emissões de CO2, dado os custos que tal comportava para a sua economia, com Obama o país cedeu, mas Trump protestou e prometeu anular o compromisso por considerar as alterações climáticas uma farsa antiamericana. Agora eleito o mundo corre o risco de marcha atrás neste processo.

Trump ganhou precisamente quando começou a entrar em vigor o acordo de Paris, quando decorre a cimeira de 2016 para as alterações climáticas em Marraquexe e quando determinadas vozes, nomeadamente a do livro “Tudo pode mudar” que estou a ler, dizem que já estamos demasiado atrasados neste processo e o esforço dos países desenvolvidos tem agora de redobrar face ao já acordado.

Se existem aspetos que talvez Trump tenha exagerado no populismo e não venha a concretizar com a intensidade dos seus discursos, a descrença nas alterações climáticas parece-me ser uma convicção do próprio presidente americano agora eleito e o lóbi em defesa dos combustíveis fósseis para desacreditar a associação entre a concentração de CO2 e alterações climáticas, não só tem muito dinheiro para defender a sua causa, como passou a ter um grande aliado na Casa Branca convicto. Esta conjunção, aliada ainda à maioria republicana nas duas câmaras legislativas, fará que este seja um dos aspetos em que o novo líder da América dificilmente recuará e a ser verdade os maiores receios de cientistas e ambientalistas de que se está de facto já a entrar numa situação catastrófica, então as eleições americanas com Trump foram uma machadada final para o problema das emissões chegar a bom porto antes que ocorra um grande desastre global de dimensões incalculáveis.

Resta esperar que sejam os cientistas que estejam a ser exagerados nas suas previsões catastrofistas, caso contrário, ironicamente será um Presidente Americano, populista de direita, a acabar com o capitalismo  que foi a bandeira do modelo e poderia económico, político e militar da América, só que será um fim por uma razão bem diferente da guerrilha ideológica esquerda-direita e o mundo terá então de seguir um rumo radicalmente diferente dos dois grandes projetos económicos opostos que marcaram o século XX, sendo forçado a criar um modelo novo e típico do século XXI.

Read Full Post »

Dada a importância das atualizações, a partir de agora estas far-se-ão para o topo deste post ficando as informações mais antigas para o fundo do texto.

Atualização dia 2/9/2016 15h00

A tempestade tropical Gaston intensificou-se ligeiramente, está agora com ventos de 110 km/h, com rajadas mais fortes, deverá passar nas próximas horas ligeiramente a sul da costa sul das Flores, mas deverá afetar as ilhas do Grupo Central, nomeadamente Faial, Pico São Jorge e Graciosa, com ventos fortes e possibilidade de chuva intensa.

gaston6a

Atualização dia 2/9/2016

Gaston deverá hoje atravessar os Açores, a sua rota desviou-se um pouco para sul passando entre as Flores e o Faial, no último comunicado do NHC os seus ventos haviam enfraquecido mais um pouco e eram na ordem dos 120 km/h com rajadas mais altas.

gaston6

Atualização 1/9/2016 15h00

Nada de significativo foi alterado em termos de rota, a previsão aponta para a ilha das Flores, os ventos continuam a diminuir, sendo na ordem dos 140 km/h, com rajadas mais fortes e deve começar a afetar os Açores na tarde de amanhã.

Atualização 1/9/2016 19h00

A previsão da rota presentemente é sobre a ilha das Flores, enfraqueceu ainda mais, possui agora ventos na ordem dos 150 km/h, com rajadas mais fortes, e tudo aponta que passe os Açores no final de sexta-feira como Tempestade Tropical.

gaston5

Atualização 1/9/2016 8h00

Nenhuma alteração significativa em relação à informação de ontem à noite, continua a trajetória mais próxima das Flores do que do Grupo Central e a tendência de chegar aos Açores como Tempestade Tropical.

Atualização 31/8/2016 21h30

No início da noite a boa notícia é que Gaston continua a enfraquecer, passando deixando a categoria 3 para passar a 2 e as intensidades de vento perto da sua zona central é de 165 km/h com rajadas mais fortes, a intempérie tem um raio de ação como furacão de 75 km e a sua aceleração em rota aponta para que chegue aos Açores na sexta-feira já como tempestade tropical.

Atualização 31/8/2016 15h30

Esta tarde pouca alteração houve em relação à anterior atualização em termos de rota, enquanto a sua intensidade diminuiu ligeiramente face a manhã, tendo agora junto ao seu centro ventos de 185 km/h com rajadas mais fortes e a sua deslocação acelerou podendo atingir os Açores já para o final de sexta-feira.

Gaston4b

ATUALIZAÇÃO 31/8/2016 10h

Uma ligeira deslocação para norte da trajetória perspetivada para a passagem do Gaton na região dos Açores face ao previsto durante a madrugada. No resto mantém-se, tal como toda a incerteza associada ao lugar por onde deverá atingir os Açores.

Post original abaixo

Gaston neste momento tem ventos na ordem dos 195 km/h e a sua rota estimada dirige-se para o Grupo Central, com passagem perto do Faial. Apesar de se prever que quando se aproximar dos Açores perca força e se transforme em Tempestade Tropical e a trajetória possa ainda mudar. Recomenda-se assim o seguimento das recomendações dos comunicados da Proteção Civil. Imagens do National Hurricane Center.

gaston4aGaston4

A partir de hoje todas as atualizações desta intempérie neste blogue serão efetuadas neste post para evitar dispersão de consultas.

.

Read Full Post »

Ainda é cedo para qualquer certeza, os dados obtidos ao longo da noite apontam que a rota do ainda furacão Gaston deverá passar cada vez mais a norte, agora sobre o Grupo Ocidental já sem a intensidade de furacão mas apenas de Tempestade Tropical. Mente Livre continuará a acompanhar o evoluir deste fenómeno meteorológico com atualização ao longo do dia e da semana, mas tal não dispensa os leitores de seguirem os comunicados da Proteção Civil.

As imagens abaixo são da NOOA/NHC

Gaston3

gaston3a

Atualização 1

A última atualização da rota de Gaston desta manhã, prende-se com uma inflexão da rota quando da aproximação do Grupo Ocidental que o leva depois a passar perto da Graciosa.

gaston3b

Atualização da noite

Gaston voltou a ter uma trajetória próxima da primeira da manhã, embora se tenha intensificado, o que já se esperava, mantendo-se a previsão de chegar ao Grupo Ocidental como Tempestade Tropical e prosseguir a sua rota a norte da Graciosa..

Read Full Post »

Como se não bastasse já a ameaça de uma tempestade tropical, os Faialenses foram acordados esta noite por um sismo à 5h11’45” com epicentro a cerca de 30 km a oeste do Faial, magnitude de 3.9 Richter, segundo o CIVISA, que pode ter atingido a intensidade máxima na ilha de V na Escala de Mercalli Modificada.

sismo2982016png

Este evento insere-se numa crise que já está a decorrer há algum tempo nesta zona, área onde tem ocorrido quase todos os anos uma ou mais crises de sismos tectónicos e de onde, desde que há cobertura destas ocorrências por sismógrafos nos Açores, nunca resultou em sismos de magnitude tão elevada que provocassem danos significativos no Faial.

Assim, atendendo ao historial da zona,o mais provável é que ocorram mais sismos, mas sem se prever uma situação grave, tal não invalida que as pessoas não estejam preparadas, pois devem-no estar sempre dado o elevado risco sísmico inerente a estas ilhas, e seguir atentamente os comunicados da Proteção Civil e do CIVISA  e a respeitar as respetivas indicações.

Para já, como geólogo habituado a acompanhas estas situações, recomendo apenas calma e boas-práticas para este tipo de situações.

Read Full Post »

Ainda é cedo para se ter a certeza, pois só lá para o final da próxima semana é que o furacão Gaston se aproximará dos Açores, mas para já existe essa possibilidade de afetar o Arquipélago. Mente Livre, como nos casos anteriores, acompanhará o evoluir das informações deste tipo de fenómeno que costuma a preocupar estas ilhas desde o final do verão até meados do outono, mas tal não dispensa o acompanhamento das indicações da Proteção Civil.

Imagens abaixo do National Hurricane Center

Rota mais provável do furacão

Gaston1a

Zona de probabilidades de serem afetadas pelos ventos desta tempestade tropical

Gaston1

ADENDA 1

Na manhã de segunda-feira 29 a atualização aponta para um direcionamento do Gaston para o Grupo Central dos Açores, todavia é ainda muito cedo para qualquer certeza da continuação desta tendência.

gaston2

Atualização para o dia 29 à tarde, onde se observa uma tendência da rota se deslocar mais para norte do Faial.

gaston2b

Atualização da noite não mostra alterações significativas de Gaston, a passar entre Faial e Flores, embora mais perto desta. Chama-se a atenção que há muito que a previsão é que na passagem pelos Açores ele já possua características de Tempestade Tropical, portanto mais fraco.

gaston2c

Outra forma de visualizar a rota de Gaston

Gaston2d

Read Full Post »

Older Posts »