Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘São Miguel’

Quase não há semana em que algo que envolva a SATA não acabe comprometido: desde viagens que não se fazem com desculpas esfarrapadas, a pretensas negociações de aquisição que vão bem e não se fecham, até operações que não se assegura no prazo. A administração nunca é responsabilizada e de facto a culpa é da tutela: o governo dos Açores está paulatinamente a destruir a transportadora e a sua credibilidade.

A administração parece aquele fantoche que está em cena apenas para servir de escudo dos maus, mas se um fantoche real não pensa e se na SATA alguém faz figura de fantoche de forma consciente é porque não tem vergonha de dar a cara enquanto vai assistindo à destruição da transportadora aérea pública regional.

Agora foi a situação do avião cargueiro, na Madeira o consórcio sabe operar, mas nos Açores lá tropeçou na SATA e esta é uma caixinha de imprevistos que já nem poupa São Miguel…

Quem pensou que o mal da SATA se iria restringir apenas a ilhas pequenas agora já começa a sentir os efeitos do veneno que mata aquela empresa

Read Full Post »

O número de deputados na ALRAA é constante, exceto quando há uma alteração legislativa para uma mudança, todavia a repartição de deputados pode variar em função do número de eleitores por ilha, não o número real, que este é muito distante da verdade, mas sim dos que estão efetivamente inscritos nos cadernos eleitorais, quer sejam vivos ou mortos, residentes ou emigrantes, é assim que o funciona o regime.

Assim, pese embora o desfasamento da realidade, de acordo com os cadernos eleitorais São Miguel ganhou um deputado, enquanto São Jorge perdeu um, as restantes ilhas ficam iguais às anteriores eleições. Se a terra do arcanjo se queixa que apesar de ter a maioria dos Açorianos elege menos de metade dos deputados, agora a residentes no círculo eleitoral do santo cavaleiro, com o dobro dos habitantes de Santa Maria, Graciosa ou Flores, elege o mesmo número de representantes ao parlamento regional que cada uma destas três… tal seria correto se resultasse apenas da legislação, o problema é que resulta também do desajustamento da realidade do recenseamento.

Todavia, suspeito que a situação ainda concentraria mais o peso de São Miguel se houvesse uma correção dos cadernos eleitorais que aproximasse os seus números para a realidade dos residentes nas várias ilhas dos Açores… aspeto que se tem reforçado com um investimento preferencial na ilha do arcanjo face a outras terras cada vez mais despovoadas, não só por concentração urbana dos Açorianos, mas também por falta de alternativas nas terras mais pequenas. Uma pescadinha de rabo na boca que morde mais uma vez uma parcela mais pequena da Região.

Se o Triângulo se fosse unido, sentiria eleger 11 deputados, menos um, mas ainda mais um que a Terceira… mas o divisionismo não ajuda nenhum destes vértices Faial, Pico e São Jorge.

Read Full Post »

24809

Alguém se lembra de alguma notícia onde o Governo dos Açores do PS tenha apoiado uma obra não devidamente licenciada de uma autarquia de outro partido que não socialista?

Na minha vida tenho ouvido é autarcas não socialistas queixarem-se das exigências burocráticas de legalidade, a lamentarem-se da recusa de apoios para obras devido à desculpa do Governo dos Açores da falta de dinheiro, mas ouço referências que é tudo mais fácil quando a autarquia é rosa.

Se a Junta de São Roque não fosse PS alguma vez a Direção Regional dos Assuntos do Mar, entidade competente na área de intervenção, teria apoiado esta obra sem exigir todos os trâmites legais?

Penso que não!

Vai acontecer alguma coisa a quem prevaricou neste caso?

Também penso que não. As rosas na política só picam outras cores e perfumam as da sua espécie.

Alguma vez o povo pelo voto condenará quem age assim?

Penso que não! Depois critiquem os políticos como se o povo fosse apenas inocente e justo.

Não questiono a obra em realização no Poço Velho da freguesia de São Roque do concelho de Ponta Delgada, conheço bem o local pois residi muito próximo dele… mas condeno esta dualidade de critérios de quem está no poder que envenena a democracia e não deixo também de criticar os cidadãos que compactuam com esta realidade que se comenta em todos os locais e neste caso é bem descarada.

Read Full Post »

Segundo o jornal Público as reservas para daqui a 45 a 60 dias em hoteis estão a aumentar nos Açores devido ao início das low cost e têm sido feitas sobretudo pela internet.

Não vale a pena questionar se este aumento é positvo, pois seguramente é, mas também não deixa de levantar outras dúvidas ou interrogações:

Este aumento é generalizado nas várias ilhas ou apenas nas que têm acesso low cost? O artigo só fala de situações em São Miguel.

Este aumento é feito essencialmente pela internet, será que não vai ter impacte negativo nas agências de viagens situadas nos Açores ou mais concretamente em São Miguel? Confesso que nos últimos anos usei muito mais sites para reservas do que agências e não me admirava nada que este impacte seja desfavorável no emprego disponível para este serviço.

Este aumento será sustentável? Lembro-me o fluxo de nórdicos que deu até origem a cartazes de medidas de sucesso do governo de César, passado o fogacho esgotaram-se os turistas, agora onde os preços não incluem bagagem e outros serviços será que depois da fúria inicial o interesse manter-se-á? Espero que sim.

Será que as outras ilhas vão definitivamente sofrer de baixas de reservas com este fluxo privilegiado diretamente para São Miguel e as suas economias atrofiar-se-ão ainda mais? Infelizmente a redução de voos para o Faial e a mudança para ligações redondas no Pico apontam para este tendência negativa. Neste caso, como se comportarão os dirigentes das ilhas prejudicadas para dar a volta por cima?

Por agora é altura dos foguetes, esperemos que outros não fiquem apenas a apanhar canas.

Read Full Post »

Se o socialista José Sócrates deixou Portugal com uma dívida insustentável e o social-democrata Passos atual Primeiro-ministro parece culpado de todas as medidas para tentar salvar o País da bancarrota da situação que herdou, no Concelho do Nordeste as responsabilidades são inversas, o social-democrata Carlos Carreira deixou o município afogado em dívidas e o atual Presidente socialista do Edil é confrontado por essa realidade com base em conclusões do Tribunal de Contas (TdC).

Claro que não é o atual Presidente socialista Carlos Mendonça quem tem culpa desta situação, mas o TdC já deixa claro a possibilidade do município não ter disponibilidade financeira para concorrer aos fundos comunitários nos próximos tempos, demonstrando-se assim que o endividamento, sobretudo em obras públicas sem ser para produção de bens transacionáveis, não é uma solução para crescimento económico sustentável e mais cedo ou tarde tal via leva o devedor à bancarrota e na política quem herda esta situação é que por norma se torna no mau aos olhos do eleitorado.

Espero que Carlos Mendonça encontre uma saída para esta situação e não uma fuga para a frente de fazer mais dívida, mas se não cumprir o seu programa eleitoral por causa da herança da dívida bem pode olhar para o modo como os seus correlegionários crucificam o atual Primeiro-ministro que se encontra numa situação igual à dele.

Também pode dizer que vai reestruturar a dívida mas até lá e depois verá sempre os efeitos nefastos de uma quebra de compromissos…

 

Read Full Post »

Não é por ser ilegal a criação de senhas de presença nas reuniões da Associação de Municípios da Ilha de S Miguel (AMISM) para os Presidentes de Câmara envolvidos que condeno a situação,  é por ser vergonhoso.

Não compreendo que Presidentes de Câmara, eleitos para defender os interesses da sua Terra, que são pagos para exercer essas funções a tempo inteiro, ao criarem associações entre eles para melhor executarem as suas tarefas, se autoproponham receber “extras” precisamente para desempenharem o papel para que tinham sido empossados legal e democraticamente. Mesmo que alguns dos agora envolvidos não sejam quem inicialmente criou estas senhas na AMISM.

O montante de 800€ por umas horas também é escandaloso, muito superior a um vencimento de muita gente que trabalha arduamente durante um mês.

Esta mancha não se apaga pela devolução voluntária dos presidentes visados, pois agora fica a suspeita de  que se a situação não tivesse vindo a público toda a vergonha teria sido mantida em segredo.

Precisavam estas pessoas, por algumas das quais até tenho apreço e reconheço competência, de se sujeitar a uma humilhação e a uma suspeita destas?

Mais uma vez se prova que a legalidade, nem sempre  dá garantias de moralidade.

Read Full Post »

%d bloggers like this: