Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 2 de Janeiro, 2017

Na mensagem de Ano Novo o Presidente da República, sem abrir hostilidades com ninguém, tocou nos principais falhanços de 2016 e nos desafios para 2017. Relativamente ao Governo, chamou a atenção para o crescimento económico, este deve ser muito maior este ano para o País conseguir sair da crise e foi este o maior falhanço de Costa. Relativamente à oposição, deixou claro que a estabilidade do executivo foi positiva e é primordial para Portugal, por mais que isso desagrade a Passos e a Cristas. Para os partidos com apoio parlamentar à governação PS ,deixou claro que a dívida não diminuiu no passado ano, pelo que a estratégia da geringonça não é um sucesso sustentável a prazo.

Deste modo Marcelo Rebelo de Sousa conseguiu que todos tivessem trunfos para continuar com o seu discurso de oposição, apoio ou governação e todos sentissem que existem ainda situações muito graves para resolver que são mais importantes para alimentar o discurso das suas estratégias partidárias.

Efetivamente Portugal está quase parado em termos de investimento público e se Costa antecipou para 2015 a resolução do Banif, para não ficar com o ónus do défice daí resultante, adiou a intervenção na Caixa para disfarçar que cumpriu as metas sem um plano B, quando de facto não resolveu um dos maiores imbróglios da banca, algo que até culpa o passado de não terem resolvido atempadamente como se com ele estivesse  ser diferente.

O investimento público quase parou em 2016 e se o Governo não fosse rosa com apoio vermelho, com esta travagem nas despesas com obras públicas, educação e saúde não teria qualquer tolerância da dupla CDU/BE, pelo que o verdadeiro estado da nação não é tão bom quanto o apregoado na realidade.

Assim, diplomaticamente Marcelo disse isto tudo sem afetar o seu estado de graça perante os Portugueses e cola-se ao que de bom pode acontecer a descola-se com alertas para o que de mal pode vir aí e está nas mãos de Portugal… deixando os riscos externos fora da discussão. Efetivamente o lugar de influência que ocupa assenta-lhe muito bem e sabe geri-lo politicamente com maestria.

Read Full Post »

%d bloggers like this: