Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 10 de Agosto, 2016

O meu artigo de ontem no diário Incentivo:

O PIRUS OU BARALHAR E FAZER A JOGADA ANTIGA

Na semana passada, o Presidente da Câmara apresentou o PIRUS com uma pompa como se tratasse do arranque de uma nova obra estruturante em curso na Horta. Afinal o PIRUS não é nenhum projeto, nem nada que tenha sido feito ou se vá inaugurar: o PIRUS é apenas o nome de mais um plano e quer dizer “Plano Integrado de Regeneração Urbana Sustentável”, mas olhando para o seu conteúdo verifico que é quase só uma listagem de praticamente tudo aquilo que há muito o Município ou o Governo têm sido sistematicamente acusados de prometerem todos os anos eleitorais e depois de nunca fazerem. Um pacote de 26 obras, a maioria delas em atraso, que agora se volta a prometer fazer até 2020 e isto com mais uns acertos de pormenor e eliminando aqueles projetos que assumidamente é para cair e o PS quer que os esqueçamos.

Lá estão listadas quase todas as promessas das últimas décadas para a cidade, umas vezes com o mesmo nome e outras rebatizadas. Assim, o PIRUS tem novamente o Mercado Municipal, a Frente Mar, o novo Quartel dos Bombeiros, o aproveitamento do Carmo para o Turismo, a ciclovia, os parques de estacionamento, a incubadora de empresas, a revitalização do centro comercial da Horta, obras do saneamento básico na Cônsul Dabney e até repete as tintas para as fachadas das ruas da baixa – uma “oferta”, aparentemente desinteressada, que aparece de tempos-a-tempos.

Já ouvi dezenas de vezes a Câmara Municipal ser acusada de ter prometido quase tudo isto sem nunca o cumprir, repetindo as mesmas obras em programas eleitorais sucessivos. Claro que os vários Presidentes de Câmara ao longo dos anos foram refutando estas acusações: no início dos mandatos diziam que iriam cumprir nos anos que ainda faltavam e, para o fim destes, mudavam o discurso e anunciavam algo que assegurava que a seguir é que ia ser, ou seja, no mandato seguinte.

Curiosamente, agora que já falta só um ano para as eleições autárquicas e já não dá tempo para se cumprir muito do que anteriormente de foi anunciando, eis que o Presidente repete a tradição e anuncia o PIRUS a acabar no próximo mandato. Afinal nada de novo nesta estratégia que já dura há mais de 20 anos no Faial!

Na década de 1990 a Câmara Municipal apresentou com pompa o Plano Diretor Municipal (PDM) do Concelho da Horta, num discurso que parecia mesmo que aquele Plano é que ia finalmente fazer desemperrar a ilha do seu declínio e depois, tristemente, o PDM deu em nada!

Na primeira década deste século XXI a Câmara Municipal apareceu com o Plano de Urbanização (PU) da Horta, apresentado com pompa no Salão Nobre. Vendo bem, o seu conteúdo tinha muito do atual PIRUS e aquele PU é que causaria o tal salto que o PDM afinal não dera. Infelizmente, o PU deu em nada!

Há poucos anos a Câmara Municipal discutiu com pompa a Frente Mar da Horta, houve protocolos com Vasco Cordeiro, concursos de ideias, propostas de projetos e lá estava muito do que agora se fala no PIRUS, só que outra vez e depois de tanta esperança anunciada, a Frente Mar deu em nada!

Eis agora a mesma receita, já não é o PDM, o PU ou a Frente Mar, é o PIRUS que vai ser! Confesso-me cansado de ver este filme de tempos-a-tempos, mas sei que há Faialenses com tão pouca memória que depois de ouvirem tantas vezes a mesma história ainda não sabem que a mesma acaba sempre em nada!

Pelo caminho caiu a Variante e à Câmara Municipal não interessa falar disso, caiu a segunda fase do Porto e o Governo não quer falar disso, tal como recusam falar da garantia da pista… desculpe esta já fica fora do perímetro da cidade e, por isso, uma e o outro devem pensar que é inoportuno falar disto por agora. Não falo desta mais hoje, mas não esqueci.

Assim as promessas caídas são substituídas ou por um novo plano ou por umas recargas asfálticas que fecham em simultâneo com a Semana do Mar os maiores eixos viários da Horta. Muitos têm-me proposto para eu falar deste tema, mas suspeito que a coincidência dos encerramentos é só porque quanto maior é o incómodo, mesmo que por mau planeamento, mais se repara nessa obra e esta até parece maior. Deste modo, a melhoria do piso que veio substituir a Variante até parece também ser uma grande obra para que o Faialense se esqueça da falta de palavra no grande projeto.

Com tanto incómodo numas semanas a dois meses das eleições quando alguém disser que no Faial não se investe, haverá logo quem lembre a intervenção no chão de uma via existente ali para os lados da rotunda de Santa Bárbara cujos Faialenses bem estão a sentir na pele para não se esquecerem. Logo ali precisamente na zona onde era para sair a segunda fase da Variante e se de facto esta não saiu do papel, mesmo assim resultou em perturbações como se de facto tivesse saído algo em grande e muitos até se esquecem que o que não se fez de facto foi a obra que estava prevista no PDM, no PU e suportava a Frente Mar e que agora está morta no PIRUS.

Read Full Post »

%d bloggers like this: