Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 18 de Maio, 2016

É injusto que na sequência de uma política de excessiva obediência a Bruxelas, seguida por Passos, mas que não deu os frutos que a Europa queria, venha agora a Comissão pensar em sancionar Portugal precisamente quando se está no início da experiência de uma estratégia diferente implementada por Costa e antes de se saber se esta vai dar certo.

Todavia, na sequência desta ameaça europeia, Costa desaproveitou a oportunidade dada por Passos para ter neste mais um aliado do Governo de Portugal no braço de ferro com Bruxelas. Isto porque precisamente em vez de elogiar as declarações do anterior Primeiro-ministro e de Maria Luís Albuquerque quando também se manifestaram contra as sanções, ele optou por falar para os socialistas e criticar a contradição entre o líder do PSD e o Partido Popular Europeu que estaria a favor do sancionamento ao nosso País.

Após uma birra de Passos em não cooperar com o atual Governo à espera que as coisas deem para o torto (risco que ainda existente), colocando os interesses partidários acima dos nacionais; após os lamentos do atual Primeiro-ministros pela não cooperação do PSD quando da recente discussão do orçamento; após o Presidente da República apelar a entendimentos entre todos em favor de Portugal; António Costa desaproveitou a abertura dada pelo líder da oposição em estar a seu lado nos diferendos com a Europa, dificultando ainda mais futuras cooperações deste se Bruxelas for  mais dura com Lisboa e os partidos à sua esquerda acharem que se ultrapassou a linha vermelha que estão dispostos a ceder para salvar a sua estratégia.

António Costa porque tem tido alguns sucessos iniciais quando pouca acreditavam na sobrevivência desta coligação de esquerda esquece-se que está a andar sobre terreno muito pantanoso cheio de areias movediças onde um pormenor pode acabar com todas a estratégia por ele montada e ao fechar esta porta dá argumentos a que nessa altura possa ficar sozinho.

Read Full Post »

%d bloggers like this: