Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 13 de Outubro, 2015

Não sou daqueles que se sente chocado por um possível acordo do PS com a direita ou com a esquerda, sempre tenho referido que o mais importante era pôr em primeiro lugar Portugal e não os partidos. Todavia é triste ver que aspetos centrais das propostas eleitorais de várias das forças concorrentes às eleições estejam a ser postas de lado na ânsia de chegar ao Governo ou de obstaculizar outra ala política.

Não deixa de ser irónico que uns para ter um Governo reneguem aquilo que parecia fundamental no seu programa e isso agora não seja visto como uma fraude eleitoral quando precisamente acusavam outros de não cumprir os seus programas depois de eleitos quando chegavam ao Governo.

A CDU nunca escamoteou que era contra o euro e o tratado orçamental, deu mesmo a entender que a luta contra austeridade teria de passar por aqui, logicamente um eleitor que era contra estes dois projetos europeus poderia votar nesta coligação de esquerda, mas agora esta está disposta a renunciar a argumentos estratégicos só para viabilizar um governo do PS. Isto não é defraudar o eleitor que votou CDU porque defendia a saída do euro e o não seguimento das diretrizes do tratado orçamental?

O BE nunca escamoteou que era fundamental renegociar a dívida para se acabar com a austeridade, mantendo a ideia do País poder no euro, mas agora deixa cair a renegociação da dívida para viabilizar um governo PS. Mas isto não é defraudar o eleitor do BE que votou precisamente nele para afirmar a intenção de renegociação da dívida?

O PàF no governo colocara à sua frente a necessidade de austeridade para Portugal ultrapassar a crise e depois reduzir lentamente estes sacrifícios à medida que o País ia recuperando economicamente da quase bancarrota em que o Estado mergulhara, mas agora está disposto a ceder em quase tudo o que os distinguia do PS só para liderar o próximo Governo. Mas isto não é defraudar o eleitor que votou nesta força precisamente convencido que os sacrifícios eram necessários tendo em conta alcançar um futuro sustentável?

O PS agora está na versão de Maria vai com quem der mais, desde que lhe dê poder e é difícil perceber o que renega, mas talvez seja mesmo a sua alma e o seu futuro, por enquanto fica o benefício da dúvida como fará sair Portugal do lodaçal em que está a afundar-se, o seu líder pelo menos já defraudou todos aqueles que votaram nele para alcançar uma vitória mais expressiva do que aquelas que o levou a retirar Seguro do lugar de secretário-geral socialista.

A verdade é que a ânsia de uns para chegar ao poder, o medo de outros para sair do poder e as cambalhotas que todos estão a dar enojam-me e pouco de bom auguram para o futuro de Portugal

Read Full Post »

%d bloggers like this: