Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 14 de Julho, 2015

Não é frequente os meus artigos de opinião centrarem-se numa única pessoa da ilha, mas a verdade é que é uma desilusão saber que um jovem político já se viciou no hábito de não defender o Faial, o meu artigo de hoje no Incentivo:

NOVA GERAÇÃO JÁ COM VÍCIOS VELHOS

Já se arrasta por várias décadas a estratégia dos governos do PS-Açores de colocarem faialenses, com cargos políticos, eleitos ou nomeados nesta ilha pelo partido, a assumirem a defesa dos ataques que os governantes continuamente têm vindo a fazer ao Faial.

Reconheço que tal estratégia tem merecido o apoio de muitos faialenses que, mesmo perante as denúncias desses ataques à nossa ilha, na sua maioria têm perdoado não só aos que executam o esvaziamento do Faial, como também aos eleitos que por aqui desculpam tais agressões com os argumentos mais esfarrapados, dando-lhes assim sempre a sua confiança no momento dos votos.

A verdade é que passado o tempo dos eleitos e nomeados da última década do século passado e na primeira do presente século, eu pensava que a geração mais jovem que a veio substituir, depois de assistir ao continuado declínio económico desta ilha, de ver as consequências da redução de obras intencionalmente diminuídas na Horta (como a do porto) e ao dar-se conta da já quase inexistência de emprego fora da administração pública regional, pois praticamente tudo que era privado tem vindo a ser destruído, começassem agora a ter coragem para assumir nos locais próprios a defesa do Faial ou, pelo menos, o pudor de não serem eles a propagar as desculpas esfarrapadas do Governo dos Açores pela desistência dos investimentos anunciados para esta terra.

Engano meu, infelizmente esta minha esperança de que as gerações de faialenses socialistas mais jovens se tornassem mais reivindicativas perante os seus camaradas governantes tem vindo continuamente a transformar-se em desilusão.

Primeiro na Assembleia Municipal da Horta, onde continuo a ver os mais novos da bancada socialista a recusar apoiar e a argumentar contra moções, protestos e recomendações relativas a desinvestimentos ou não resolução de problemas que afetem este Concelho como se fazia há quase duas décadas atrás, basta que nestas justas reivindicações estejam em causa cargos da competência do partido que representam e isto é feito com a mesma ansiedade da maioria das pessoas das anteriores gerações que se sentavam nos mesmos lugares e desculpavam todos os ataques ao Faial que tivessem origem rosa.

Agora, eis que vi o ainda jovem deputado Lúcio Rodrigues, com o mesmo desplante da velha geração, referir que a culpa da desistência da construção da variante à Horta era do Governo no Continente e não do Regional. Isto depois de 19 anos de desculpas e adiamentos desta obra por sucessivos Governo do PS-Açores. O argumento foi que o atual executivo de Vasco Cordeiro desistira da conclusão deste projeto por o novo quadro financeiro da União Europeia não privilegiar a construção de estradas. Como se este aspeto não fosse comum a todos os Países desta Europa e como se a própria carta regional das obras públicas não o desmentisse descaradamente ao prever a construção de mais estradas para outras ilhas, inclusive naquela onde se fizeram dezenas de quilómetros de autoestrada e para onde se prevê agora executar uma nova via rodoviária com um túnel. Algo que como se sabe tem custos elevadíssimos.

Nada tenho a opor que se façam tais estradas noutras ilhas, mas tal demonstra que a desistência da variante à Horta é apenas culpa do Governo dos Açores e de políticos faialenses como Lúcio Rodrigues e seus apoiantes que aceitam tal situação e ainda a desculpam.

Sei que os fundos comunitários no novo quadro passaram a privilegiar projetos com retorno económico e criadores de emprego sustentável, algo que o deputado Lúcio Rodrigues não parece valorizar, pois, felizmente para ele e ainda bem, não é um desempregado. Mas também sei que foi porque, ao contrário dele, outro político rosa, eleito no município beneficiado pela nova estrada com túnel, ter vindo à comunicação social protestar que o Secretário Regional dos Transportes não cumpria a promessa do Governo Regional para com o seu concelho que aquela via rodoviária é para avançar. Demonstrando que um comportamento diferente teve um efeito diferente e por isso que o Faial perde a variante.

Mas também compreendo que Lúcio Rodrigues assumiu desculpar o Governo dos Açores por este não cumprir a sua promessa porque a experiência lhe ensinou que no Faial um socialista eleito não é penalizado por não defender esta ilha, ao contrário do que acontece no tal concelho onde o Presidente da Câmara exigiu com toda a força a estrada, um município que mudou sempre de cor política todas as vezes que os seus eleitos não atenderam às reivindicações da terra que os elegeu.

O que me dói é ver que os mais recentes socialistas eleitos por esta ilha, apesar de ainda jovens, já têm o vício velho de colocar o partido à frente dos interesses desta terra e voltam a não assumir em pleno a defesa do Faial. Um sinal que por muitos anos as coisas por aqui não deverão mudar e o progressivo declínio do Concelho da Horta vai continuar pois os novos políticos faialenses já seguem os velhos vícios que tanto têm prejudicado o Faial e as suas gentes.

Read Full Post »

%d bloggers like this: