Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 1 de Julho, 2015

Meu artigo de opinião publicado ontem no jornal Incentivo:

Carta de aniversário à Muito Leal cidade da Horta

Querida cidade da Horta

Sabes que nunca me esqueço do dia de anos da tua passagem de Vila a Cidade e, apesar de faltarem ainda uns quantos para esta efeméride, como é já esta semana o 182.º aniversário da tua elevação a esta categoria urbana, optei, antes que seja tarde e surjam outros assuntos que inviabilizem a minha intenção, por enviar desde já os meus votos de Parabéns por mais um ano com este estatuto.

Sei que, tal como os homens, as cidades não são eternas, apesar de se dizer que Roma tem a garantia de perdurar até aos fins dos tempos por ser a sede do trono da Igreja.

Infelizmente, muitas belas e importantes cidades do mundo morreram: umas por calamidades naturais, como Pompeia soterrada pela erupção do Vesúvio; outras devido às guerras entre os povos, como a mítica Troia, onde a paixão e o rapto da bela Helena levou a que fosse cercada e destruída pelo rei Menelau e há ainda as que mais pena me fazem; aquelas cuja desatenção dos seus habitantes e a incapacidade dos seus dirigentes não permitiram que enfrentassem o evoluir dos tempos e por isso deixaram-se ultrapassar por outras que as esvaziaram e as tornaram decadentes e, nalguns casos, até as deixaram desaparecer e hoje estão remetidas aos anais da história. Este foi o caso daquela importante cidade-mar de Éfeso, a segunda mais importante do Império Romano, mas que não soube ler os sinais associados ao declínio do seu porto e hoje é apenas um conjunto de ruínas arqueológicas e lembrada, sobretudo, nas igrejas pela epístola de São Paulo aos Efésios.

Querida cidade da Horta, desejo-te um futuro eterno e glorioso como o que se diz reservado a Roma, mas mesmo não sendo possível, o que de forma nenhuma quero que te aconteça é um fim decadente e desonroso para ti e os teus habitantes como o que aconteceu à cidade-mar de Éfeso.

Sabes querida cidade da Horta, até acredito que nem os teus habitantes, nem os teus dirigentes desejam para ti um triste futuro, mas quando não se sabe interpretar os sinais de decadências ou se pretende preservar o poder no presente a qualquer preço, deixa-se de perceber o que se passa à volta, as suas consequências para o futuro e até se aceitam as coisas que demonstram o desnorte de quem gere e compromete os destinos desta Terra.

Já perdi a conta de quantos planos já apreciámos para ti querida cidade da Horta nos últimos anos, anunciados como fomentadores de um maior desenvolvimento e sempre desta Terra e sempre considerando a concretização da variante. Todos foram aprovados, mas, ou não foram implementados ou os bons efeitos foram nulos pois a decadência desta ilha nunca se reverteu. Agora vão repetir a fórmula com a Frente Mar, alterada com base numa discussão pública feita quando outros cobardemente ainda nos escondiam da desistência de construção da variante… mas suspeito, como sempre tem acontecido anteriormente, que de novo se vai fazer o folclore do costume como se nada de comprometedor entretanto tivesse acontecido com a desistência da variante.

Sabes que a morte da cidade-mar de Éfeso se deu à progressiva inoperacionalidade do seu porto pelo seu assoreamento? Pois quando fizeram as últimas obras na tua querida baía encolheram a área de operações associada ao cais norte e deixaram-na sujeita a forte assoreamento, mas disseram que nada de comprometedor aconteceria. Hoje, há cruzeiros que não atracam, rampas ro-ro que geram instabilidade em navios, descobriu-se a má localização de postos de amarração e a falta de manutenção destes era norma. Julgas querida cidade da Horta que alguém é responsabilizado por todo este mal que têm vindo a te fazer? Não… ninguém!

Sabes que o anterior Presidente de Câmara não fez nenhuma obra de referência em ti querida cidade da Horta e os planos que deixou estão todos desatualizados pela ausência da variante? Apesar de não se ter candidatado, foi premiado para assumir um cargo para aqui se instalar uma Escola do Mar, mas antes de mostrar trabalho e a mesma ser feita, já os Governantes esvaziavam o projeto criando uma delegação desta noutra terra, mas ele nada protestou sobre este atentado contra ti querida cidade da Horta e por esse silêncio cúmplice voltaram-no a honrar propondo-o para ser eleito deputado por esta ilha. Sabes, penso até que há habitantes teus dispostos a conceder-lhe tal prestígio por ter feito tão pouco pelo teu futuro e por deixar esvaziar-se nesta ilha a Escola do Mar antes desta mesmo nascer.

É assim querida cidade da Horta, parece-me um pouco angustiada esta epístola de Parabéns, mas sabes… o tempo tem dado mais vezes razão aos que lançaram alertas ao longo da história do que aos vitoriosos da ocasião e o que não falta nesta ilha são vitórias de Pirro, onde a cada autoelogio dos teus governantes sobre um sucesso presente, frequentemente se cava mais um fosso para o teu destino e o que eu mais desejo para ti é que tenhas um futuro glorioso e garantas sucesso e bem-estar às tuas gentes. Parabéns por este aniversário querida cidade da Horta!

Read Full Post »

%d bloggers like this: