Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 18 de Agosto, 2014

Portugal fez o quinto maior défice comercial da União Europeia nos primeiros cinco meses de 2014. Curiosamente os maiores nem foram todos de países pequenos e pobres, veja-se o caso da França e do Reino Unido, mas entre os estados mais defensores da austeridade sobre os Portugueses: a Alemanha e os Países Baixos, houve saldos positivos.

É normal que num dado momento um País tenha défice comercial ou seja: um valor maior de importações do que o de exportações; mas não é saudável que se persista neste saldo negativo de forma continuada, pois tal leva ao endividamento do Povo, a dívida privada ou pública acaba sempre por ser paga por cidadãos.

Pior ainda, se um Povo tem a seu cargo o pagamento de uma grande dívida privada e ainda uma enorme pública como é o caso de Portugal. Eu até compreendo que parte da dívida soberana nacional é injusta, por exemplo toda a que veio do BPN nacionalizado pelo PS e ainda outra proveniente do resgate da banca na “ajuda” da troika e uma fatia significativa dos acordos catastróficos da PPP que herdámos do passado e nisto estou de acordo com muito do que até diz o BE e outros grupos e movimentos de esquerda ou de cidadãos independentes.

O busílis é que em Portugal quando há mais dinheiro disponível nas carteiras, o que muita esquerda fundamenta como a solução para dinamizar a economia, há em paralelo um incremento de importações que abafa as receitas das exportações necessárias para pagar as nossas dívidas que deste modo aumentam e quando se ameaça não se pagar os credores, acusando-os de abutres, ou se quer reestruturar à força a dívida soberana, os que assim gritam esquecem-se que se importamos mais do que exportamos, depois de tal confronto ficamos a perder, pois não vejo como é possível melhorar o nível de vida sem pagar a dívida sendo deficitário nas nossas necessidades e consequentemente amarrado a ter de pagar a pronto mais do que produzimos.

 

Read Full Post »

%d bloggers like this: